A realidade virtual e o futuro da pornografia

Enquanto a playboy arranca o nude das revistas, a galera do entretenimento adulto vê na realidade virtual uma esperança de suce$$o. Aí fica a pergunta: a pornografia em VR será como o VHS foi para a pornografia nos cinemas? Eu acho que sim. Chegou a era do porn imersivo.

Do re/code.

Playboy sem nudes

playboyzinha

Até a revista Playboy se ligou que ficou mais fácil, e grátis, ver mulher pelada na internet. E por causa disso vai parar de ter fotos com nudez. Agora só foto tipo instagram na revista. Os caras estão se adaptando ao mundo atual, mudando a idade da base de fãs e ampliando o mercado. O The New York Times explica melhor essa treta.

E aqui a gente ainda vê grandes veículos como a Folha tentando dificultar sua vida travando o seu Ctrl+C/Ctrl+V

Em vez de sabres-de-luz, dildos de borracha

Vendadas, garotas de bikini lutam com dildos. A ideia parece melhor no papel do que em vídeo.

Como aumentar a permanência dos leitores no seu site

Curso intensivo do Bobagento.

Duas vezes mulher

Hazel Jones tem duas vaginas e comenta: “Quando descobri o que tinha disse a toda a gente! Pensei que era espetacular. É claramente um desbloqueador de conversa nas festas. E se as mulheres quiserem ver, não me importo de mostrar, não é algo que me deixe embaraçada”.

Mas ainda sou a favor do “mostre, não fale”. Aqui.

Dica do Álvaro.